27 de outubro | Cerimônia de premiação de gala e apresentações

Auditorio de Galicia | Compostela

Reflexión

Rosalía Fernández Rial

Reflexión

Detrás do espello
todas eramos a mesma muller,
núa,
interrogativa,
reclamándolle respostas
á realidade.

Ninguén vai chamar por nós?
Ninguén -silencio-.

Porque sodes a mesma muller sen rostro,
sen nome.

E se nos creamos?

Que cada unha
se debuxe da forma que queira.

E foi así como demos a luz
os nosos lenzos,
soñando pincel,
imaxinando cores,
a grande escala.

Foi así como
comezamos a parirnos…

Ata nacer
entre os marcos ceibes
da fantasía feminina.

Así hoxe vexo,
nos seus ollos,
que o teu retrato
son eu.

Árbores no deserto.
Galaxia, 2020

BIO

Rosalía Fernández Rial (Carballo-Muxía, 1988). Doutora em Filologia (USC), possui estudos musicais com a especialidade de acordeão no Conservatório de Carballo.

Como criadora, em especial de poesia, Rosalía regenera-se em cada um dos seus livros, entre os quais destacam: En clave de sol (2009), Átonos (2011), Vinte en escena (2012), Un mar de sensacións (2012), Ningún amante sabe conducir (2014), Contra-acción (2016) ou Sacar a bailar (2016). Nestes títulos metamorfoseia-se em apresentações performáticas e musicais que também foram levadas ao âmbito audiovisual.

Aulas sem paredes (livro-DVD, 2016) é a sua obra de ensaio mais relevante e inclui um documental audiovisual com uma intervenção didática em que usa a expressão dramática e teatral como ferramentas pedagógicas para o ensino e aprendizagem de línguas. Prémio à melhor iniciativa bibliográfica na Gala do Livro Galego 2017. Como narradora publicou Bonus track (Ed. Galaxia, 2018), livro de relatos curtos tecidos com letras de canções conhecidas. Na mesma editora publicou o seu último livro de poemas, Árbores no desertotrabalho escrito a partir de códigos próprios das artes vivas e das artes plásticas contemporâneas. Nele incorpora versos que nascem a partir de citações de autoras chaves no feminismo, como Sojourner Truth, Flora Tristán, Concepción Arenal, Rosalía de Castro, Emma Goldmann, Virginia Woolf, Clara Campoamor, María Zambrano, Simone de Beauvoir, Kate Millet e Malala. “A reflexión”, o poema ganhador de aRi[t]mar 2021, está inspirado por Flora Tristán. 

No género dramático, destaca A lúa, válvula de spray, ficção sonora através das ruas de Carballo.

Uma vez personificada, Rosalía vai da grafia à ação e atualmente está a desenvolver vários projetos nos quais funde, evolucionadas, as dimensões literária, corporal, cénica e experimental numa amálgama que lhe permite aliar os seus seres sob a existência sólida de uma composição artística; única identidade importante.

Fonte

Desprazamento
Bottom Reached
PT