27 de outubro | Cerimônia de premiação de gala e apresentações

Auditorio de Galicia | Compostela

O verão sabe-me bem

Márcia

O verão sabe-me bem

O verão sabe-me bem.
Gosto do calor que entra,
da face quando fica iluminada
gosto de ter luz nos olhos
e gosto de ficar parada.

Quando o sono não vem,
e aquelas noites não se arrefecem,
é com o verão que sonho.
Aquieta-me, o quente.
Nem preciso falar.

Basta ficar a olhar
a linha torta dos montes
com o calor dos horizontes
para tudo se endireitar.

As estradas são para ir.
Editorial Planeta, 2020.

BIO

Márcia (Lisboa, 1982) é seguramente um dos maiores talentos da composição em língua portuguesa. 

Demonstram isso os seus discos, do seu primeiro EP A Pele que Há em Min, e a seguir os álbuns , Casulo, Quarto Crescente e Vai e Vem, editado em 2018.

Este último é precisamente o trabalho mais recente desta excelente compositora que tem escrito para artistas como Ana Moura, António Zambujo e Sérgio Godinho, entre outros.

Autora de temas intemporais como “A Insatisfação”, “Cabra Cega” e “Tempestade” em 2019 apresentava um espetáculo impactante em que as suas canções se acompanhavam de uma narrativa de vídeo e luz muito pessoais. As estradas são para ir (2020) é o seu primeiro livro de poemas, em que combina ilustrações feitas pela artista junto com canções, crónicas, poemas e pensamentos. 

Esta obra poética de debute também lhe valeu ser finalista dos Prémios Livro do Ano Bertrand.

Desprazamento
Bottom Reached
PT