27 de Outubro | Gala entrega de premios e actuacións

Auditorio de Galicia | Compostela

Faz bem falar de amor

BIO

Foi em Setembro de 1987 na quinta do Sr. Guilherme (mais conhecido por Bill) que o projecto nasceu das mãos de Carlos Moisés, Paulo Bizarro e Rui Dias….. Nesse ano, participaram na 1ª Mostra de Música Moderna da RUC (Rádio Universidade de Coimbra) e em 1988 no 5º Concurso do Rock Rendez-Vous no qual por serem finalistas, ganharam o direito de gravar o tema “Zézé”, incluído na colectânea “Registos”.

Em 1990 alcançam as meias-finais do concurso Rock Pepsi-RFM e o primeiro lugar no 1º Concurso Aqui Del..Rock que permitiu à banda editar, dois anos mais tarde, o seu primeiro álbum de originais “SEM RUMO”.

Em 1994 é editado pela Polygram “OS FILHOS DA NAÇÃO”, álbum que chegou a disco de Ouro, levou a banda a pisar nesse ano e no ano seguinte os palcos do país inteiro em duas tours que contaram com mais de 100 datas. A meio percurso, fizeram ainda a primeira parte do concerto de Bryan Adams no Estádio José de Alvalade.

Em 1996 editam o àlbum “NO TRILHO DO SOL” novamente disco de Ouro, inclui temas tão conhecidos como “A Única Das Amantes”, “No Trilho Do Sol” e “Se Te Amo” e conduz a banda a uma extensa digressão.

1998 é o ano de “DIAS DE CUMPLICIDADE”. Gravado e misturado totalmente em Madrid nos estúdios TRAK e produzido pela dupla Carlos Moisés e Juan Inácio Cuadrado, é editado pela Polygram e chega a disco de Prata com a ajuda do single “Voa (voa)”.

Nos anos seguintes, a banda faz digressões, edita pelo meio um “BEST OF” (1999 – disco de prata), abre caminho a novas canções para um novo álbum – “NÓMADAS” – editado em 2001 pela Universal e que contou com a produção de Mário Barreiros num disco caracterizado por uma abordagem à chamada “música do mundo”. Esta junção de sonoridades étnicas com o folk-rock contou com a participação especial da cantora marroquina Amina Alaoui e do iraniano Bijan Chemirani nas percussões.

Depois da edição de “AO VIVO TOUR 2003”, o registo da actuação da banda na Queima das Fitas de Coimbra, a QUINTA DO BILL regressa aos álbuns de originais editando em Dezembro de 2006 “A HORA DAS COLMEIAS”. O novo disco revela uma vez mais as várias influências musicais do grupo e conta com a colaboração de nomes como os de José Luís Peixoto, Pedro Abrunhosa, Miguel Castro, Tim, Adolfo Luxúria Canibal, João Afonso, Sebastião Antunes, Moz Carrapa e João Portela na escrita das letras dos novos temas.

Para comemorar os 20 anos de carreira a banda realiza um concerto em Tomar com os convidados João Afonso, Sebastião antunes e Tim que é gravado e editado em CD e DVD.

SETE o sétimo registo de originais da Quinta do Bill é editado em 2011 e conta com a colaboração de sete letristas; João Portela, Sebastião Antunes, Pedro Malaquias, Miguel Castro, Moz Carrapa, João Afonso e José Luis Peixoto. O disco gravado em Paço d’Arcos por Nélson Carvalho conta com a produção de Nuno Rafael.

Em 2012, na comemoração dos seus 25 anos, o grupo lança “25 anos, as Baladas”, uma síntese das canções mais intimistas incluindo duas canções originais – “No silêncio do teu olhar” e “D`alma lavada”.

Em 2015 é editado em CD/DVD Quinta do Bill-Sinfónico, concerto realizado no coliseu do Porto com a Banda Sinfónica Portuguesa.

2016 é o ano do 8º disco de originais – Todas as Estações – com lançamento a 27 de maio tendo como 1º single “Faz bem falar de amor”.

Em 2017, a Quinta do Bill completa 30 anos de existência.

Premios

_Vencedores do concurso Aqui del Rock – RTP – 1990
_2 discos de Ouro
_4 discos de Prata
_1 disco de Platina – Xutos, 20 anos 20 bandas.
_Medalha de Ouro da cidade de Tomar
_Prémio Personalidade do Ano do jornal o Mirante

FONTE

Desprazamento
Bottom Reached
GL